Wine Talk – degustação virtual de vinhos

Veja que interessante essa nova plataforma e formato de degustação, que chegou com a pandemia provocada pelo Covid-19.

Foi justamente nesse cenário de crise e restrições que dois empresários paranaenses enxergaram uma oportunidade de negócio. Ancorados no tripé tecnologia, logística e vinho, criaram a startup “Talk Wine”, primeira plataforma brasileira de degustação virtual em larga escala. A expectativa é reunir até mil pessoas, de diferentes regiões do País, a cada encontro. 

Ela funciona da seguinte maneira: o consumidor acessa o site da Talk Wine; escolhe a degustação virtual com a qual mais se identifica (há datas e temáticas diferentes) e compra o passaporte; recebe em casa o kit com dois vinhos, cardápio de receitas para harmonização e dicas para aproveitar ao máximo a participação. No dia e hora programados, basta acessar a live e vivenciar a experiência pela smart TV, tablet ou smartphone. Tudo no conforto e segurança do lar e na companhia dos familiares. E se quiser rever a degustação, também é possível: as transmissões são ao vivo mas permanecem gravadas, permitindo que se assista quantas vezes quiser. 

“A proposta da Talk Wine é de ir além da tão falada democratização do vinho e levar o melhor deste universo, em apenas um clique, para qualquer cidade do Brasil. Estamos investindo em tecnologia para desenvolver uma plataforma online de fácil navegação, segura e intuitiva na hora da compra. Trabalhamos, também, para desenvolver uma logística eficiente que garanta a distribuição dos kits no tempo necessário. Um produto amigável, escalável e acessível”, adianta o cofundador André Barros. 

O empreendedor conta ainda que foi dada especial atenção à escolha de quem vai levar as experiências até a casa dos clientes. “Vamos aproximar os amantes da bebida e a próxima geração de apreciadores por meio de experiências surpreendentes que unem vinho, entretenimento, música, cinema e gastronomia. Além disso, estamos fechando parcerias com profissionais de renome na cena nacional e internacional”, destaca o também fundador da Talk Wine, José Roberto Mattos. 

Lives – Marcelo Copello, um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no País, com expressiva carreira internacional e seis livros publicados, em português, espanhol e inglês, premiados no Brasil e exterior, é a principal aposta da startup. As experiências de estreia do negócio, com os temas Portugal e Vinho & Cinema, têm curadoria e serão conduzidas pelo jornalista – que promete enriquecer ainda mais as lives da Talk Wine convidando sommeliers, enólogos, músicos e chefs de cozinha. Um curso de iniciação também já estão na programação de Copello. Outros nomes de destaque no País também já assinaram como palestrantes da Talk Wine: Jorge Lucki (especialista formado pela Academie du Vin de Paris), Suzana Barelli (jornalista e profunda conhecedora da bebida) e Gabi Frizon (empreendedora e sommelière).

Mercado – Em países como Portugal cada pessoa consome, em média, 62 litros de vinho por ano. França e Itália ocupam a segunda e terceira colocação, com 50 e 44 litros, respectivamente. No Brasil, em 2019, a média ficou em 2,13 litros de vinho por habitante. Ainda que tímido se comparado a outras nações, o consumo nacional vem crescendo. Dados do ranking da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), apontam que já ocupamos o 17º lugar na lista dos maiores consumidores. 

Copello lembra que, apenas 30 milhões de brasileiros consomem vinho ao menos uma vez por mês, considerando um total de 180 milhões com mais de 18 anos. “Nossa relação com a bebida é recente, ela vem se popularizando desde os anos 90. Ou seja, há um universo gigante de novos apreciadores a ser explorado pela Talk Wine”, diz. 

Ainda segundo o especialista, o brasileiro tem uma relação de medo e fascínio quando o assunto é vinho. “Muitas pessoas acham que é uma falta grave não conhecer profundamente a bebida, e isso é um erro. Nossa missão é desfazer tal sentimento. Não é preciso ser um estudioso para apreciá-lo. Vou mostrar nas experiências da Talk Wine que a degustação pode ser um entretenimento agradável e democrático, uma viagem cultural única. Vamos reunir o Brasil online para tomar vinho”, ressalta Copello.  

Passaportes – Além dos passaportes, que custam a partir de R$400,00, a plataforma Talk Wine terá, na primeira fase do negócio, conteúdo exclusivo gratuito, um e-commerce e cartão-presente virtual. “Também está nos nossos planos, ainda para 2020, o lançamento de infoprodutos, como cursos online e livros virtuais, e a criação de um clube de assinaturas, além de soluções corporativas”, finaliza Mattos.

Sobre a Talk Wine
Primeira plataforma brasileira de degustação virtual de vinhos em larga escala, a Talk Wine tem como proposta de valor ir além da tão sonhada democratização do vinho e levar o melhor deste universo em um clique. A startup paranaense aproxima os já amantes da bebida e a próxima geração de apreciadores por meio de experiências surpreendentes que unem vinho, entretenimento, música, cinema e gastronomia: sommeliers, enólogos, músicos e chefs de cozinha na tela da smart tv, computador ou smartphone e você aproveitando cada minuto do evento no conforto e segurança da sua casa.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>