Vistandes Torrontés 2007

A uva Torrontés tem uma particularidade. Ela apresenta um aroma floral muito intenso e gostoso. Quem ainda não provou um vinho dessa uva vai até tomar um susto ao sentir seus aromas.

E esse argentino, que é feito 100% com essa uva e produzido na região de Maipú não foge à regra. Com uma coloração amarelo palha tendendo ao ouro, é um vinho muito fresco e claro, muito aromático.

Na taça percebemos aromas de frutas cítricas contrastando com um adocicado tendendo ao mel, além, é claro, de muita flor. Seus aromas são francos e muito presentes. É uma delícia ficar sentindo seus aromas.

Em boca, como é de se esperar de um torrontés, não tem tanto corpo, mas é bastante correto. Boa acidez e final bem interessante.

vistandes_torrontesEsse é importado pela Santa Ceia Vinhos e pode ser encontrado lá com eles ou em casas especializadas, como o Empório Vila Buarque, por exemplo. Custa em torno de 30 reais e é um ótimo vinho para se beber numa tarde ensolarada, por exemplo.

Acompanha muito bem saladas e entradas à base de vegetais e frutas. Talvez não seja o melhor acompanhamento para entradas mais estruturadas, pois o vinho vai sumir. Só atente-se a isso para não perder o que esse vinho tem de melhor, que são seus aromas e seu frescor.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

7 Comentários

  1. 1

    Daniel.

    Gosto muito desta uva e deste vinho em especial. Para mim, os melhores são produzidos na região de Salta mais precisamente no vale de Calchaquí, delá vem o MIchel Torino reserva e perto dali o Crios da Susana Balbo.

  2. 2
  3. 3
  4. 4

    Daniel, como tinha dito, para mim vale a pena o Torrontés e o Syrah/Bonarda da Crios. A linha Anubis eu acho muito concentrado, estilo tinto retinto.

    Mas, de qualquer sorte, Torrontés tem que ser de Slata ou Cafayate, são significativamente melhores que os de outra região da Argentina.

  5. 5
  6. 6

    Daniel,

    Também adoro vinhos feitos com a Torrontés, sobretudo no aspecto aromático. Como você bem disse, não tem muito corpo. Há alguns anos, provei um vinho bem simples, da Etchart, que é um corte de Torrontés com Chardonnay. Nem é o “privado” deles, é mais simples ainda. Deve custar uns 15 reais. E a Chardonnay deu um pouco de corpo. Vinho simples e bem honesto.

  7. 7

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>