Vinícolas do Uruguai – Varela Zarranz

Conheci a vinícola Varela Zarranz em minha última viagem ao Uruguai, em Julho  de 2015. Em um tour longo e passando por várias vinícolas, pude entender melhor como está o panorama dos vinhos por lá e também provar alguns muito bons. E nesta vinícola, além dos bons tintos, dois vinhos me chamaram muito a atenção: um branco feito com a uva Petit Grain Muscat, que eu nunca tinha provado e gostei bastante (veja mais sobre todos os vinhos abaixo) e o espumante Brut Nature deles.

Os responsáveis pela produção por lá são o enólogo Enrique Varella e o engenheiro agrônomo Ricardo Varella, que são bem conhecidos no país pela sua ótima reputação e capacidade técnica. Eles fazem hoje em torno de 200 mil garrafas de vinho fino e uma informação interessante, principalmente para os mais “naturebas” é que eles fazem suas próprias leveduras, pois entendem que podem fazer algo bem focado no que querem para o vinho..

Em geral os vinhos deles têm baixo álcool e são bem agradáveis de se beber. No Brasil estão com a importadora Obra Prima (importadora de Curitiba).

Se quiser visitar a Varela Zarranz – que vale a pena pois o local é muito bonito – você precisa fazer uma reserva via site. As visitas são de segunda a domingo e custam de 25 a 35 dólares (com almoço completo). Mínimo 2:30h de visita e se for com almoço é melhor reservar umas 3h.

Abaixo estão os vinhos que provei e gostei.

Petit Grain Muscat 2014
Uma uva bem diferente, porque tem toques da Moscato, mas um leve oxidado. Na boca tem bom corpo, deixando o vinho mais gastronômico.

varela_Zarranz_BrutEspumante Maria Zarranz Extra Brut
Belo espumante, com ótima acidez. 6 meses descansando com as leveduras antes de sair para o mercado. Refrescante e leve.

Varella Zarranz Brut Nature
36 meses de contato com as leveduras, deixando um aroma e sabor de fermento e pão bem intenso. Para acompanhar comidas mais elaboradas.

Cabernet Franc Tannat 2014
Vinho leve e fácil de beber, com bons taninos. Nem precisa de comida, pode abrir e beber como entrada.

Fusión Roble 2013
Cabernet Sauvignon, Tannat e Merlot.
Tem um toque levemente mais adocicado, mas que é agradável

Tannat Reserva 2011
Leveduras próprias.
Vinho que começa fechado e que precisa de tempo para abrir. Taninos redondos, mas que mostra bem a força da uva.

Guidaí Detti 2011
Significa 3 luas. Tannat, Cabernet Franc, Canernet Sauvignon.
Feito só em anos bons. 2004 e depois veio o 2011. Vinho super equilibrado. Final muito bom é fácil de beber, apesar de ser super encorpado. Vinificam tudo separado e depois decidem o corte é se esse vinho será feito.

Topázio colheita Tardia
Usa uvas tardias e metade vai fermentar em carvalho. Metade é guardado sem fermentar, para juntar os dois depois. Aromas lembrando mel. É um vinho mais leve. Fica na boca por um bom tempo.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>