[Vinícolas da Argentina’] Bodegas del fin del mundo

Com um nome desses, você não fica com vontade de conhecer? Eu confesso que a primeira vez que ouvi falar, fiquei muito curioso.
Essa vinícola fica na Patagônia em uma instalação muito bonita e imponente. Recebem muito bem os turistas por lá e é uma que vale a pena a visita. Mesmo que você esteja de passagem para ir para Bariloche, por exemplo, vale a pena dar uma parada e conhecer.
É uma vinícola grande (são 870 hectares de plantação) e por lá eles fazem espumantes, vinhos brancos e tintos. E claro, a Pinot Noir é uma das variedades que se dá muito bem por aqueles lados.

A linha de produtos é bem grande e muitos estão no Brasil. São vinhos macios e bem feitos. Abaixo destaco alguns que eu provei e gostei.

Extra Brut
Pinot Noir (80%) Chardonnay (20%). Tem uma cor acobreada, aromas cítricos, maçã. Bom perlage, boca bem presente, toque de frutas secas, final bem marcante, acidez alta.
É um espumante que pode agradar quem não gosta muito dos aromas que surgem nos espumantes quando passam por barrica.

Reserva Viognier 2011
Essa é uma novidade, que ainda não está no Brasil, mas deve chegar logo e recomendo provar.
Vinho bem claro, verdeal e límpido. Toque cítrico, pêra, muito frutado. Boca bem presente, ainda com um toque verde, mas que não incomoda. Final médio.
O que acontece é que eles usavam a Viognier como corte, mas agora vão fazer varietal, porque perceberam que estava indo muito bem. Gostei da decisão.

Reserva Pinot Noir 2009
Vinho com cor clara. Toques de cereja, morango doce, leve toque herbáceo. Na boca é leve, mas tem taninos ainda bem marcados, leve herbáceo na boca também. Final médio.

Reserva Malbec 2010
Esse passa 12 meses em barrica e mantém as características de um vinho jovem, com bastante fruta e toques florais. Tanino bem domado e toques de madeira. Leve e fácil de beber. Final bem correto.

FIN Cabernet Franc 2007
Gostei muito desse vinho. É um “Single Vineyard”, ou seja, toda a uva vem de um só vinhedo. Passa 14 meses em barrica e tem 14,5% de álcool, mas não incomoda.
Aromas mais doces, mas mais complexos, toques de barricas, pimentas, taninos ainda jovem. É um vinho que dá pra guardar por mais tempo e que eu acho que vai evoluir bem. Recomendo.

Apesar do nome, a vinícola não fica exatamente no fim do mundo, mas é bem perto. E a paisagem compensa a viagem. Para saber mais veja o site da vinícola. No Brasil, os vinhos são importados pela Mr. Man.

Um abraço
Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>