Vinhos Tops da Argentina em grande confronto

A Wines of Argentina costuma fazer alguns projetos bem interessantes para promover os vinhos argentinos. Já participei de uma degustação via twitter com eles, por exemplo.

E dessa vez eles fizeram uma degustação com os vinhos ícones (ou vinhos tops) de algumas vinícolas, selecionados pelo jornalista Marcelo Copello chamada “Argentina mostra a sua força”, com o intuito de mostrar que os vinhos de lá são tão bons quanto os melhores vinhos do mundo.

Nesse evento foram apresentados 9 vinhos tintos, degustados às cegas e classificados por um juri composto por 45 jornalistas. Como sempre digo, não é porque os outros não ficaram nas 3 primeiras posições que não são bons. Todos os vinhos (de verdade) eram muito bons e valem muito a pena serem provados.

1o Lugar
Zeta 2006
Tanto o Zuccardi quanto os seus vinhos fazem sucesso por aqui. O Zeta (seu vinho top) é um corte de várias uvas que muda a cada ano. Já provei o 2004 e o 2006 e realmente é um excelente vinho, com ótimo potencial de guarda. (Veja aqui todas as matérias com a Zuccardi).

2o lugar (empatados)
Cobos Bramare Marchiori Malbec 2006

Eu já tinha provado o Cabernet Sauvignon (e alguns outros da Cobos). Essa vinícola tem a assessoria do Paul Hobbs e já teve muitos prêmios. Veja no post “Viña Cobos na Grand Cru” a degustação de alguns deles. O Cobos Bramare Marchiori Malbec 2006 é um vinho que mostrou leve toque verde, o álcool apareceu bem e o primeiro ataque na boca é bem forte (logo que se coloca na boca, sente-se o álcool bem presente). Tem uma acidez bem correta, toques de fruta seca no nariz e na boca. Final correto e tanino ainda um pouco jovem. mostraram que esse vinho tem potencial para ser guardado por muito tempo ainda.

Judas 2007
Esse é um vinho que eu sempre vejo nos Encontro de Vinhos e sempre provo rapidamente, sem poder dar a devida atenção, mas é sem dúvida um grande vinho que merece ser bebido com calma. Produzido pela Sottano lá em Mendoza, é um daqueles vinhos muito encorpados. Tem muita fruta negra e cereja, com leve álcool aparecendo. Bom corpo. É um vinho que evolui muito com o tempo em taça, então se for beber, recomendo beber devagar.

 

Os outros vinhos provados estão aqui
Caro 2007
É um vinho que tem boa complexidade e lembra o estilo do “Velho Mundo”, bem estilo Bordeaux. Tem toque floral bem intenso, fruta, chocolate, álcool sobrando um pouco, acidez alta e final longo.

Pulenta Estate Gran Cabernet Franc XI 2007
Esse vinho abriu bastante com o tempo. Ganhou 96 pontos do Robert Parker (pra quem gosta de notas). Vale provar com calma.

Achaval-Ferrer Quimera 2007
O vinho parecia mais jovem no visual, com menos halo de evolução. Toques de amora, floral. Boa acidez, álcool aparecendo um pouco.

Yacochuya 2006
Esse eu nunca tinha provado antes. Tem toque verde, especiaria e menos acidez. Mais austero, corpo muito bom e final bem longo.

DV Catena Malbec Adrianna 2003
Top da vinícola, tem muita fruta doce no nariz. Elegante na boca, mas acho que faltou um pouco de acidez. Retrogosto com toque forte de chocolate.

Iscay 2006 Trapiche (Merlot/Malbec)
Toque interessante de frutas secas no nariz e depois confirmando na boca. Tanino ainda jovem.

Essa é uma lista que eu vou guardar para quando eu quiser comprar bons vinhos tops argentinos. Todos são para se beber com muita atenção, pois realmente são grandes vinhos.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>