Salvaguarda para vinhos brasileiros – quem vai pagar essa conta?

Atenção amigos, essa é uma notícia importante e que, dependendo da decisão do Governo, afetará diretamente o nosso bolso. Foi aberta uma investigação para averiguar a possibilidade de se aplicar medidas de salvaguarda para o vinho brasileiro.

Traduzindo: O Ibravin, a UVIBRA, a FECOVINHO e o SINDIVINHO foram até o Governo para dizer que os vinhos importados estavam prejudicando o mercado de vinhos brasileiros.

E qual é a solução sugerida? Aumentar os impostos sobre os vinhos importados!

Sim, é isso mesmo que você está lendo. Esse vinho que você compra e já acha caro (se não acha, fico contente que tenha muito dinheiro. Eu acho bem caro) vai ficar ainda mais caro.

Por enquanto é só um estudo e eu sinceramente quero acreditar que isso não vai dar em nada, mas não poderia deixar de me manifestar, pois o pedido me parece ser o mais absurdo que eu já vi até hoje, conseguindo ganhar até do selo fiscal, que infelizmente foi aprovado e implantado, tendo também reflexos diretos nos preços dos vinhos para o consumidor.

Gostaria de propor uma reflexão e gostaria inclusive da opinião dos órgãos que protocolaram esse pedido.

Quais são os esforços que estão sendo feitos para DIMINUIÇÃO DE IMPOSTOS DOS VINHOS BRASILEIROS?

Quais são os esforços e investimentos para a MELHORIA DA QUALIDADE DOS VINHOS BRASILEIROS?

Quais são as iniciativas REAIS para a DIVULGAÇÃO AMPLA DOS VINHOS BRASILEIROS?

Como sabem, eu gosto muito de vinhos brasileiros. Provo semanalmente um vinho feito no Brasil, não por nacionalismo ou qualquer bandeira, mas por gostar e por ter curiosidade. E vejo que temos vários vinhos bons (e muitos ruins também, mas tudo bem), ou seja, não estou defendendo os vinhos importados, simplesmente acho um grande absurdo e uma falta de consideração com o consumidor essa medida.

SE O VINHO BRASILEIRO PRECISA GANHAR NO PREÇO, ENTÃO QUE LUTE POR BAIXAR O VALOR DOS IMPOSTOS, ASSIM O CONSUMO PER CAPITA TAMBÉM AUMENTA!

Estou triste e cansado de ver atitudes e ações politiqueiras ganharem cena e nós, consumidores, pagarmos por isso.

Um abraço

Daniel Perches

(Se alguém quiser ler o pedido de salvaguarda, eu tenho ele na íntegra. Me mande seu e-mail no comentário que eu envio)

You Might Also Like

22 Comentários

  1. 1

    Daniel, infelizmente isso pode acontencer, como diz o texto, até retirar vinhos das prateleiras, que absurdo !!! Já aconteceu com os veículos. As suas perguntas estão corretas, onde estão as respostas ? Voltaremos ao ” tenebroso tempo da reserva de mercado ” Pensamento pequeno, País atrasado, Consumidor Assaltado. Uma Vergonha.

    Abs

    Eduardo Rezek

  2. 2

    Eduardo, espero sinceramente que isso se resolva da melhor forma, ou seja, que arquivem esse processo completamente sem sentido e que os que estão buscando essa loucura acordem para a nossa atual realidade.
    Abraços

    Daniel

  3. 3

    Vi a matéria a esse respeito em outro blog e repito o que falei por lá, que corrobora com você Daniel.

    O vinho nacional tem um valor elevado e nem sempre tem qualidade, os importados de entrada são muitas vezes superiores aos da linha reserva do Brasil e costumam custar a metade do valor. No fim das contas pagamos mais pelo nacional e agora pagaremos bem mais pelo importado.

    O caminho seria baixar a carga tributaria dos nacionais e não aumentar dos importados. Chega de sacrificar quem já se sacrifica todo dia.

    Abraço, Ewertom Cordeiro.
    [Vinhos de Minha Vida]

  4. 4

    Seria tão mais fácil juntar as entidades como Wines of Brasil, Wines of Chile, Wines of Argentina entre outras que querem ajudar na promoção de vinhos no Brasil e trabalhar unidos num programa de crescimento do mercado de vinhos finos, ainda tem tanto por fazer para garantir uma boa evolução do consumo de vinhos no Brasil tirando um pouco do espaço da cerveja, nosso consumo de vinhos por habitante ainda é tão baixo se compararmos com outros países onde a cultura do vinho esta mais presente. Sem contar que foi justamente a entrada dos importados que fez com que boa parte dos produtores que antigamente não se preocupavam com a qualidade evoluíssem!
    E esse crescimento prometido para suprir uma eventual diminuição da entrada de vinhos importados vai garantir a manutenção da qualidade desejada pelo consumidor???
    Cave Geisse a favor de uma luta pela diminuição dos impostos sobre a produção de vinhos no Brasil, afinal vinho também é cultura e alimento, e contrário a qualquer prática protecionista que possa dificultar a evolução do consumo de vinhos finos seja importado ou nacional.
    Devemos gastar energia promovendo a união do setor do vinho como um todo, onde cada região produtora terá seu espaço determinado pelo estilo de vinhos, qualidade e preferência do consumidor!
    http://www.valor.com.br/empresas/2573026/vinicola-nacional-promete-ampliar-e-melhorar-producao

  5. 5

    Oi Daniel! Lamentável é pouco para ilustrar mais um episódio deste 3ceiro mundo que vivemos. Com os políticos náo podemos confiar jamais, pois é só correr o dinheiro na máo deles que a medida será aprovada. O que sinceramente acho que devemos fazer, principalmente vocês que trabalham com a mídia e público é o que o Arthur Azevedo, nosso confrade, está apregoando, BOICOTE JÁ. As mídias sociais são hoje um instrumento poderosíssimo (vide capa da revista Veja deste domingo). A mim e a nossa confraria, nada vai afetar, pois moramos perto da fron-
    teira e já consumimos enorme variedade de vinhos comprados no Paraguai. Mas vcs aí não tem esta facilidade. Lenha neles. BOICOTE JÁ. Grande abraço, Romeo

  6. 6

    Romeo, eu já parei de beber os vinhos brasileiros que são a favor dessa medida. Só volto quando terminar isso.
    Só não vou generalizar, pois tem produtores muito bons como o Geisse (veja comentário aqui) que é contra e não deve ser penalizado. Abraços
    Daniel

  7. 7
  8. 8
  9. 9
  10. 10

    Guilherme, muito obrigado pela sua contribuição. Gostei muito da sua visão sobre o assunto e com certeza, só contribui para o esclarecimento do assunto.
    Abraços
    Daniel

  11. 11

    Quando saímos do Brasil, temos transporte, muito melhor, vemos povos mais educados, temos segurança, muito melhor, temos cultura de incentivo ao turismo, incluindo gastronomia e vinhos, temos um clima diferente e estimulante ao consumo em muitos deles, e temos produtos mais baratos que aqui e com muita qualidade.

    Beber vinho no país, pode ser até considerado um luxo… Mas, o raciocínio dos que estão no poder por estas bandas, é o de complicar para supostamente proteger a industria local.

    A culpa é nossa por nascermos no país “errado”!!! A culpa deve ser nossa… Viva ao mundo lá fora…

  12. 12

    Rodrigo, concordo com você que as coisas em outros países são muito diferentes.
    Acho que temos que lutar para melhorar isso e a nossa mobilização é muito importante. Espero sinceramente que toda essa história só sirva de lição para os produtores, mas que nada disso realmente aconteça, senão teremos um prejuízo muito grande para os apreciadores de vinho.
    Abraços
    Daniel

  13. 13

    Ewerton, no blog prazeres do vinho tem um comentário que diz que os produtores são:
    Miolo, Salton, Aurora, Aliança, Don Giovanni, Valduga, Dal Pizzol. As informações estariam no face de Roberta Sudbrack que e uma chef renomada.

  14. 14
  15. 15

    Eduardo, eu não tenho como confirmar, pois não sei se são esses mesmo. A última informação que eu tenho é que a Salton saiu do jogo, mandando um comunicado oficial.

  16. 17

    Daniel, fechei contigo 100%.

    Como escrevi em um post do respeitadíssimo Adolfo Lona (outro que está estarrecido com a tal salvaguarda), infelizmente na vida as coisas seguem sempre o curso mais fácil: sem dúvida é mais simples sobretaxar os vinhos importados do que aliviar os impostos dos nacionais e estimular nosso consumidor (muitas vezes preconceituoso) a se interessar por nossos produtos.

    Completando, adorei a frase do Lona em sua coluna de hoje: “logo não precisaremos mais de salva-guardas e sim de salva-vidas”. Sugiro a leitura:
    http://adolfolona.blogspot.com.br/2012/03/salva-vidas.html

    Forte abraço e saúde!

    Tiago Bulla
    http://www.universodosvinhos.com

  17. 18
  18. 19

    Daniel,
    Você poderia me enviar o pedido de salvaguarda, por favor?
    Não concordo com este tipo de pedido porque o único prejudicado é o consumidor, talvez até mesmo os pequenos produtores, que perderão em economia de escala, terminando em um concentração indesejada de mercado.
    Abs.,

  19. 21
  20. 22
  21. 23

    Não vai ocorrer um aumento do consumo de vinho nacional porque mesmo dobrando o preço do importado,ele ainda fica competitivo.Não temos terroir para bons vinhos.É melhor plantar soja,milho,cana,arroz e outras variedades que se dão muito bem com nosso clima e solo.A videira é nativa de climas mais frios,com pouca chuva e terrenos vulcânicos de alta drenagem.Vamos ficar com vinhos simples nacionais e deixar para os que realmente entendem de vinho os importados,não tem outra saída meus caros!

  22. 24

    Airton, não sou especialista em terroir e nem em cultivo de vinho, mas tenho provado excelentes vinhos brasileiros. A questão do Salvaguarda é algo a se avaliar, mas independente disso, temos sim vinhos brasileiros muito bons e poderia citar espumantes, brancos e tintos (confesso que até hoje não provei nenhum rosé ou fortificado brasileiro que me encantasse de verdade, mas os outros sim).
    Abraços
    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>