Roncoferraro Cabernet Sauvignon 2006

Escrevo sobre esse vinho diretamente de Flores da Cunha-RS, onde estou fazendo um curso (assunto para outro post). No hotel onde estou, a carta, diminuta, apresenta somente 2 rótulos. Boscato e o Roncoferraro.

Como eu já conheço os vinhos da Boscato – e comentarei mais sobre eles em breve – eu resolvi provar o Roncoferraro.

Produzido pela Vinícola Bassanesi, é uma incursão pelo mundo dos vinhos finos. Tradicionais produtores de vinho de mesa, resolveram colocaram no mercado esse rótulo para marcar a entrada no trabalho de varietais, trabalhando com Cabernet Sauvignon e Merlot. Provei então o Cabernet Sauvignon.

O vinho apresentou uma coloração rubi, denotando a jovialidade do vinho, porém com corpo leve e alguma transparência.

No nariz aromas de frutas vermelhas, algum vegetal e um leve toque adocicado no final. Em boca, mostrou uma alta acidez e uma boa tanicidade. Sobrou um pouco de amargor no final, mas nada que incomodasse.

roncoferraroÉ sem dúvida um ótimo início para o pessoal da Bassanesi. O vinho tem grande potencial de ser um ótimo vinho nacional e apesar de não conhecer a vinícola, pelo que conversei com alguns amigos por aqui, acredito que eles tenham plena capacidade de fazer o Roncoferraro melhorar a cada safra produzida.

Não tenho informações sobre distribuição, mas se alguém tiver interesse, busco mais detalhes e publico.

Abraços

Daniel Perches

You Might Also Like

9 Comentários

  1. 1
  2. 2
  3. 3

    Olá,

    Se vc está em Flores da Cunha procure o Selezione Giobatta Cabernet Sauvignon. O vinho é bom.

    Sds

  4. 4
  5. 5

    Daniel,

    Este eu não provei, não poderia te indicar. O Giobatta é da GBM Vinhos. Outra dica, que eu já postei no Twitter, é o Giacomin Reserva Cabernet Sauvignon. Dá para garimpar muito vinho interessante por aí.

    Bom passeio

  6. 6

    Olá Daniel,

    Acompanho há algum tempo seu blog. Sou Gaúcho, e conheço razoavelmente bem a Serra Gaúcha e arredores. Como vc está na “área”, estou me manifestando.

    Em Flores da Cunha, algumas vinícolas deixam a desejar. Não me chamaram atenção vinhos da Valdemiz, apesar de sua loja na entrada da cidade. Só o Moscatel é razoável.
    Fato curioso:
    Provei um Carmenère da Serra Gaúcha !! Estranho, não ?
    Como experiêcia vale. É o Casa da Amaro Reserva Carmenère, aí de Flores da Cunha, da Sulvin.
    Nada que se compare a qualquer Chileno, mas como frizei, vale experimentar, para comparação.

    Sds

  7. 7

    Olá Paulo. Obrigado por acompanhar o blog.
    Você tem me dado boas dicas. Hoje (domingo) é meu último dia aqui e vou visitar algumas vinícolas e vou ver se consigo passar lá pra conhecer esse Carmenere.
    Aproveitando, eu ganhei um presente fantástico aqui. Uma produtora me deu um vinho feito com a uva Peverella, você conhece? EU vou provar muito em breve, porque me pareceu fantástico!
    Abraços
    Daniel

  8. 8

    Oi Daniel,

    Não te esquece de passar nos Irmãos Bettú em Garibaldi, se é que vc ainda não conhece.

    Esta casta (Perevella), é um grande novidade para mim. Nem sabia da existência. Tá que nem aqueles nomes das uvas Portuguesas !!!!

    Sds

  9. 9

    Eu já ouvi falar dos Irmãos Bettú mas não conheço. Já está na minha lista também.
    A Peverella é uma uva que foi plantada aqui no Brasil há muitos anos e depois vou retirada para o plantio de outras (o Chardonnay foi um dos responsáveis). Alguns produtores estão mantendo alguns parreirais para tentar resgatar. Esse vinho que eu te falei é de um parreiral de mais de 70 anos! Em breve eu vou contar mais sobre a história e claro, sobre o vinho. Eu te mantenho informado, mas se quiser buscar aqui na região vai encontrar alguns varietais.
    Abs
    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>