Quando o vinho vira filme por Francis Ford Coppola

Francis Ford Coppola é um grande cineasta (e que para mim será sempre lembrado pelo seu famoso Poderoso Chefão, que eu não me canso de assistir), mas não é só nas telonas que ele se destaca. Já há algum tempo Coppola vem se dedicando à cultura do vinho em Sonoma, California, e os resultado têm sido bem animadores.

A ideia de fazer vinhos surgiu em um jantar com os amigos George Lucas e Steven Spielberg em sua então refém-comprada casa na região vinícola. Estavam lá os 3 grandes nomes do cinema, comendo e divertindo-se, até que bate à sua porta seu vizinho, Robert Mondavi (produtor já falecido, dono de uma grande vinícola de lá), oferecendo uma garrafa de vinho. Depois de muita conversa, Coppola resolveu aventurar-se por esse mundo também.
E sua genialidade nos filmes não deixaria de ser retratada nos vinhos. Todos os seus rótulos são detalhadamente pensados, desde o corte das uvas, passando pelos formatos de garrafas e claro, pelos rótulos. Há também as devidas homenagens à família, como o vinho Gia, feito para a sua neta e o espumante Sofia, feito para o casamento de sua filha.
Sua vinícola é outro ponto que merece atenção: por lá não há quartos para se hospedar, mas como Francis queria que fosse um lugar de entretenimento para toda a família, mandou construir uma grande e deliciosa piscina e fez cabines para que as pessoas pudessem se trocar, guardar seus pertences, etc. E para que não vire um clube super lotado, o número máximo de frequentadoras ao mesmo tempo tem que ser sempre o mesmo número de cadeiras disponíveis. Ou seja, conforto acima de tudo.
E depois de toda essas histórias, você deve estar se perguntando: e os vinhos? Esses podemos falar muito, mas sempre lembrando de uma frase famosa entre os funcionários da vinícola: ” Francis não faz nada barato”. Peço licença ao pessoal para acrescentar que ele ” não faz nada barato e nada ruim”.
Os vinhos são excelentes e todos os que provei têm seu charme, seus estilo bem marcado e qualidade de sobra.
Se você for comprar um Coppola, prepare o bolso (preços de R$ 148 a R$ 398, vendidos pela Ravin no Brasil), mas prepare-se também para uma experiência única. Se puder colocar pra rodar um bom filme dele junto então, certamente não vai se arrepender nem um pouco da compra.
Um abraço
Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>