O vinho e as lágrimas – Por que falamos tanto nelas?

wine_legs_shadowSe você procura informações sobre vinhos ou então conversa com alguém que gosta da bebida, com certeza já ouviu ou leu sobre as “lágrimas”.

Espessas, densas, finas, rápidas, muitas, poucas… Enfim, quando avaliamos um vinho nós avaliamos também as suas “lágrimas”.

Mas afinal, o que são as lágrimas e por que a gente dá tanta importância pra elas?

Eu vou tentar simplificar e ser generalista, pois o assunto demanda um bom estudo e tempo, mas como a idéia é ser prático, vamos lá: as lágrimas são aquelas “canaletas” (que também são chamadas de pernas) que se formam e escorrem na taça depois que agitamos o vinho. Se você olhar para a sua taça logo depois de agitar, verá que se formou um halo no ponto maior onde foi agitado e depois as lágrimas começaram a escorrer. E elas têm esse nome porque parecem lágrimas humanas mesmo.

Apesar de parecer bem poético e talvez até triste, tem um sentido maior, pois elas nos dizem muita coisa sobre o vinho e ao contrário do que muitos pregam por aí, não dá pra saber se o vinho é bom ou ruim através de suas lágrimas. Elas são somente um indicador pra gente poder entender melhor o vinho.

De uma forma geral, elas indicam a quantidade de álcool que o vinho tem. Quanto mais glicerol (um álcool presente no vinho) tiver, mais rápido vai escorrer. E a espessura também vai determinar isso. A regra é mais ou menos assim: para vinhos encorpados, deve haver mais lágrimas e que escorram mais rápido. Para vinhos leves, deverá haver menos lágrimas e devem escorrer mais devagar.

O próprio conceito de “rápido” e “devagar” é um pouco controverso e algumas entidades sérias como a ABS já baniram de seus vocabulários, talvez por ser um pouco relativo…

Outra coisa interessante a se saber é que com a agitação ou álcool evapora (é muito pouco, mas evapora), então se você comprou um vinho jovem, que está com o álcool bem forte no nariz, você pode agitar um pouco a sua taça de vez em quando e aguardar um pouco pra beber. Tenho certeza que sentirá a diferença.

E é por isso que a gente aera o vinho jovem, pra tirar um pouco desse álcool sobrando. Aerar e decantar já é matéria para outro post, que virá em breve, mas acho que com isso já deu pra ter uma idéia.

E fora todas essas informações, é muito interessante e bonito ver a taça “chorando”, não é mesmo? Já tentaram agitar a taça e depois colocá-la contra a luz? Eu acho que fica parecendo uma obra de arte…

Por isso, sugiro que você agite periodicamente a sua taça. Não é só um ato social não… tem sentido prático! 🙂

Um grande abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

4 Comentários

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>