Nieto Senetiner tem também espumantes (e bem bacanas)

Como fazer uma degustação com jornalistas se o enólogo não pode sair de Mendoza e vir nos encontrar? Fácil, é só fazer uma degustação virtual. Sim, meus amigos. E não estou falando de Winebar, mas sim de um evento que eu fui lá na Casa Nieto Senetiner, um lugar muito bacana que tem aqui em São Paulo para divulgar os vinhos deles. Tem espaço para degustação, tem toda a linha para conhecer e tem um pessoal super bem preparado para falar sobre qualquer dúvida que se tenha.

Dessa vez provamos dois espumantes e alguns tintos (que eu comento depois) e eu gostei bastante. Falamos direto com o Roberto via teleconferência. Roberto é o enólogo e estava lá em Mendoza. Deu uma parada nos seus afazeres, saiu dos vinhedos e veio para frente da câmera. Falar com o “pai das crianças” é sempre interessante e ajuda a entender a proposta do vinho.

Os espumantes que eu provei foram:

Grand Cuveé
Uvas vindas de Lujan de Cuyo.
100% Pinot Noir com leveduras selecionadas da região de Champagne. O enólogo falou que eles não gostam de usar leveduras indígenas porque não tem a regularidade que eles precisam para fazer sempre um bom espumante. Qualidade é coisa séria, mas compromisso com a regularidade também!
Tem cor salmão bem leve, com bastante borbulha. É um espumante estilo novo mundo, com fruta bem presente, cítrico, leve fermento. Bom na boca, bem seco e boa acidez. Final bem correto.
Media complexidade. Não é simples, mas também não é pra se ficar avaliando por muito tempo.Custa em torno de 75 reais
Cadus Champenoise Brut Nature
Esse é o espumante top da vinícola, feito com uvas de Agrelo com 70% Pinot Noir e 30% Malbec
O espumante fica 18 meses em contato com leveduras. No nariz tem um aroma mais elegante, mesmo apesar do Malbec. Tem um toque de fermento bem leve.
Na boca tem a fruta, mas misturada com toque de grappa (nariz e boca). Longo e com um leve toque de amargor, mas sem comprometer.
Achei interessante e ousado o corte, colocando Malbec.A pequena produção (12 mil garrafas/ano) justifica o preço: 190 reais

 

Apesar de nos gabarmos de termos aqui no Brasil uma boa produção de espumantes de qualidade, não podemos deixar de provar espumantes de nossos hermanos. Não é só Malbec e Torrontés que se faz por lá.

A linha de vinhos e espumantes da Nieto Senetiner é importada pela Casa Flora no Brasil.

Um abraço

Daniel Perches

 

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>