Napa Valley em poucas palavras

Acabei de deixar a região da California e estou chegando em New York. Passei uma semana por lá e posso dizer que foi intenso. Eu tinha uma grande expectativa, pois sei da capacidade dos americanos de trabalhar o marketing, mas confesso que fui positivamente surpreendido.

Napa Valley é muito mais do que vinho. É um estilo de vida muito legal. Pude ver vinícolas grandes, como o Chateau Montelena, o Castello di Amorosa, a Chandon, mas pude ver também pequenas lojas de cooperativas, onde algumas vinícolas muito pequenas se juntam para vender seus vinhos. São tão pequenos que não vale a pena ter uma lojinha em sua vinícola (de novo, olha o marketing aí).

Mas como eu tinha uma semana inteira para fazer minhas visitas, resolvi extrapolar um pouco o roteiro vinícola, e parti para conhecer um pouco a cultura do pessoal também. E foi aí que eu me encantei mais ainda. Visitei duas queijarias. Uma minúscula, que a venda de queijos é praticamente dentro do curral e outra enorme, que tem uma loja gigante para vender todos os seus tipos. Muito legal ver os americanos que moram nas redondezas entrando e comprando o pedacinho de queijo para o dia a dia. Ou para acompanhar o seu vinho.

Aliás, vinho é realmente o que se consome em Napa Valley. Restaurantes, cafés, bares, todos com muita gente bebendo vinho. E o mais legal é que mesmo com o frio, muita gente estava bebendo vinho branco. O pessoal é nacionalista e até bairrista sim e prefere os vinhos californianos, mas vi uma pequena oferta de vinhos de outros países também (só não vi vinho brasileiro. Aliás, muitos nem sabiam que o Brasil produz vinho).

Passear por Napa e não ir aos centros das cidades é perder uma grande e deliciosa parte. Todas as pequenas (e médias) cidades têm uma pracinha, com restaurantes em volta. O povo é muito amigável e educado, sempre querendo que a gente conheça um pouco sobre a cultura deles.

Comi e bebi muito bem em Napa Valley. Comi comida típica (que eu achei bem apimentada), comi coisas mais saudáveis e sempre acompanhei as comidas com vinho local. Gostei muito dos Chardonnays, mas os Sauvignon Blanc no estilo fumé me encantaram mais.

Pra terminar o resumo, sugiro que tire um dia e estique até San Francisco. Almoçar em um dos restaurantes da Fisherman’s Warf, com vista para a Golden Gate é simplesmente imperdível.

Eu sei que ainda falarei bastante sobre Califórnia por aqui (sim, porque ainda falta contar sobre Sonoma, que também adorei), mas como a idéia é fazer um resumo, tenho que parar. Em breve coloco aqui as vinícolas que visitei, as entrevistas que fiz (e tem coisa muito legal vindo por aí) e claro, fotos.

Califórnia está, sem dúvida, nos meus destinos favoritos para o vinho.

Best Regards

Daniel Perches

 

 

*Crédito da foto – © Brent Miller, WineCountry.com

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Muito bom!

    Fiquei com água na boca.
    se um dia vc montar uma viagem pra lá, pode deixar minha vaga reservada.

    😉

  2. 2

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>