Morandé Vitisterra Grand Reserve 2001 Cabernet Sauvignon

img_00101Em uma das minhas visitas ao Empório Frei Caneca (em São Paulo), encontrei esse vinho, que estavam degustando e vendendo com um valor interessante (R$ 55,00) na época. E ainda ganhava um DVD do Pablo Morandé. Fiquei um pouco ressabiado pois a promoção era fantástica. O valor real do vinho era algo em torno de R$ 150,00. Achei muito bom para ser verdade, mas resolvi pagar pra ver e acabei comprando uma garrafa.

Um ano depois, resolvi abrir a garrafa e ver como estava. Lembro-me da degustação e queria comparar com o que tinha em casa. O resultado foi muito bom.

O interessante foi que o vinho se desenvolveu bastante nesse ano. Lembro-me de ter degustado um vinho bem forte e encorpado, mas ainda muito vivo.

O meu hoje já estava já com um halo bem desenvolvido e com uma cor quase granada, mostrando a sua idade. Nesse quesito, bem diferente do que tinha provado anteriormente.

Mas no nariz ele não deixou a desejar. Logo ao abrir, já senti aromas de carvalho e de terra molhada muito fortes. Mas como ele estava “preso” já há 8 anos, achei que ele precisava respirar um pouco. Deixei descansar um pouco no decanter (uma meia hora mais ou menos) e o resultado foi bom. Aromas de caixa de charuto e algumas notas de chocolate apareceram. Tinha também algum herbáceo, mas mais parecido com aromas do campo, de terra e de grama. Não sei se eu que procurei muito, mas me parece que tinha alguma coisa como pelo molhado também… Além desses, aromas de frutas vermelhas em geléia, em especial as frutas negras como blackberry apareceram também.

Tá bom, sei que eu já estou sendo tendencioso, mas o vinho é bom mesmo. O Sr. Pablo Morandé realmente sabe fazer vinhos. Segundo me consta, esse lote foi vendido por um preço abaixo do que deveria pois iria ser trocado o rótulo (e realmente foi), então quem encontrou o vinho se beneficiou. A partir da safra 2002, o rótulo já é outro, mas acredito que o vinho seja produzido a partir das mesmas parreiras.

Voltando à análise do vinho, em boca ele mostrou-se volumoso e bem redondo, com taninos muito macios, mas que convidam a harmonizar com uma boa comida. O prato escolhido foi polenta com molho à bolonhesa, que deu muito certo. O molho era forte, mas o vinho deu-se bem com ele. Uma boa parceria.

Se você procura um bom vinho chileno, os da Morandé são uma boa escolha. Esse, em especial, da linha Vitisterra, é muito bem feito, com uvas bastante selecionadas e com fermentação controlada. As safras seguintes devem seguir o mesmo padrão.

Já provei também o Chardonnay deles dessa linha e só tenho elogios. É de excelente qualidade.

E você, conhece algum bom Cabernet Sauvignon chileno? Manda pra mim!

Um abraço
Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>