Magna Carta Reserva 2008

Gosto de avaliar e analisar os rótulos dos vinhos. Sou publicitário e claro que eu sempre fico de olho na forma de apresentação dos produtos, mas sempre lembro que o que eu tenho que avaliar é o vinho, porém sabemos que o rótulo é o que vai fazer alguém comprar um vinho que não conhece. E por isso é importante investir nisso.

E pensando nisso, ao ver a garrafa do Magna Carta Reserva 2008 eu já me animei. Admito que ele não tem o rótulo mais bonito que eu já vi na minha vida, mas aquela pena azul na lateral chama a atenção. Não sou fã de penas, mas essa ficou legal. E como ela tem uns reflexos preateados, fica ainda mais chamativo quando bate o reflexo da luz.

Rótulo aprovado, aí veio a hora de provar o vinho. Esse é um português alentejano, feito com as uvas Syrah (40%), Aragonês (40%) e Alicante Bouschet (20%), um corte típico daquela região, segundo meu amigo – e especialista em vinhos, principalmente portugueses – João Filipe Clemente.

Gostei do vinho. No nariz ele apresentou um aroma bem complexo, que combinava toques de madeira, um leve mentolado, frutas vermelhas bem maduras (com leve adocicado). Na boca ele mostrou que acompanhava o nariz, com um bom corpo, acidez na medida e final sem amargor. Ou seja, um vinho bem correto e que até acho que vai melhorar com o passar do tempo, pois mesmo com 3 anos de vida, ele ainda me parecia jovem.

Mas o melhor mesmo veio quando eu vi o preço sugerido de venda (base São Paulo): 70 reais. Aí sim fiquei contente. É um vinho que vale tranquilamente esse valor e não faz feio em nenhuma degustação.

Então se você está procurando um vinho para levar para o sogro (que diz que entende de vinhos), para aquele cunhado que gosta de um bom vinho encorpado ou para um jantar com amigos e não quer fazer feio (e nem gastar muito), está aí uma boa sugestão.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Daniel,

    Não sei se o assunto já foi alvo de discussão aqui no blog ou qual sua opinião a respeito, mas pq na maioria das vezes eu não vejo você citar o importador ou onde encontrar os vinhos?

    Parabéns (não me canso de elogiar e divulgar) pelo sempre muito bom trabalho.

    Abraços

  2. 2

    Fala Victor
    Em geral eu não cito porque os valores mudam muito (principalmente de estado para estado) e não é minha função definir isso, mas acredito que as pessoas conseguem achar facilmente na internet o vinho, mas de qualquer forma agradeço o toque. Vou me atentar e tentar passar essas informações.

    Abraços
    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>