Livio Pavese Barbaresco 2005

Os vinhos denominados Barbaresco são produzidos no sudeste do Piemonte, com a uva Nebbiolo, que é a mesma utilizada no seu “vizinho”, Barolo.

Os Barbarescos são em geral considerados um pouco mais “leves” que os Barolos. Talvez seja pela sua posição em relação às colinas, mas independente de qualquer geografia, o que importa mesmo é que os vinhos de lá são excelentes.

E o Livio Pavese Barbaresco 2005 é um bom exemplar da região. Produzido 100% com a uva Nebbiolo, apresenta uma coloração granada, típica dos vinhos de lá.

No nariz traz aromas complexos de frutas secas, leve toque defumado, madeira seca e herbáceos. Tudo muito bem integrado, que não deixou nem o leve teor extra de álcool no nariz incomodar.

Em boca tem muita maciez, mas também uma boa força. É um vinho que melhora muito com a comida e foi muito bem com uma vitela, que é muito bem preparada no restaurante Rascal, em São Paulo.

Esse vinho foi provado para “comparar” com um outro Nebbiolo, o da Lídio Carraro. Estava com meu amigo Beto Duarte provando o Singular (da Lidio), que achamos muito bom e com muita tipicidade. Não resistimos à tentação de pedir um barbaresco para tirar a prova.

O Singular, da Lidio Carraro tem toda a tipicidade esperada de um Nebbiolo, mas dessa vez temos que dar o ponto para o Livio Pavese, pois além de me parecer um pouco mais complexo no nariz, é um vinho que apesar de todos os seus impostos de importação, nos chegou a R$ 120,00, no restaurante.

Dessa vez, temos que dar o braço a torcer. Os italianos nos venceram em todos os quesitos, e principalmente no preço.

Abraços

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Quanto a qualidade dos vinhos, ainda temos que continuar o nosso processo de evolução, o que vem acontecendo, já em relação ao preço, é absurda a taxação do governo sobre os vinhos nacionais, imagine que um vinho que venha de outro estado, que não São Paulo, só de substituição tributária, recolhe 30% de imposto. Este é o nosso país, que concede privilegios aos importados, penaliza os produtores locais, e ainda diz que nossa indústria é que precisa ser mais competitiva!!

  2. 2

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>