House of Morandé

Muito mais do que conhecer os seus vinhos, quem visita a House of Morandé tem a oportunidade de almoçar em seu belíssimo restaurante, que tem vista para os vinhedos. Até aí, algo relativamente comum nas vinícolas que possuem restaurante lá no Chile.

A diferença do restaurante da Morandé é que o cardápio é único por dia. São servidos quatro pratos que são harmonizados com quatro vinhos da casa. É uma aula sobre os vinhos, sobre gastronomia e de presente, uma ótima aula sobre harmonização.

Cada prato é servido impecavelmente pelos garçons que também nos dão uma breve explicação tanto dos ingredientes quanto da harmonização que é feita. Em caso de dúvidas sobre os vinhos, eles estão preparados para responder também. No dia que estive lá, os vinhos oferecidos foram Sauvignon Blanc, Pinot Noir, Carmenère e Cabernet Sauvignon, nessa ordem.

A vinícola situa-se no vale de Casablanca, que fica na estrada que vai de Santiago a Valparaíso. O lugar conta ainda com a venda de vinhos e com a possibilidade de se visitar os vinhedos. Se você estiver passeando pelo Chile e por Santiago, vale uma esticada até lá para almoçar. O cardápio harmonizado custa em torno de 65 reais, o que é um excelente preço para a sua qualidade.

E se quiser uma dica de um bom vinho deles, prove o Carmenère. Um bom vinho, estruturado, aromático e fácil de beber.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

4 Comentários

  1. 1

    Endosso tudo o que foi dito e dou uma dica: o vinho House of Morande 2003 está prontinho, uma delicia. Cerejas, madeira, num balanço fantástico. Quem puder provar será um privilegiado. abraços, rodrigo mazzei

  2. 2
  3. 3

    Um dos melhores vinhos que já experimentei (House Of Morandé)..comprei mais garrafas da safra 2003 e estou aguardando o momento certo para tomar.

  4. 4

    Silvio

    Se tiver oportunidade de visitar a House of Morandé, lá no Chile, não deixe de fazer.
    Aliás, conheci o Senhor Pablo Morandé na Expovinis 2010 e fiquei impressionado com o seu carisma e simplicidade. Isso sem contar a habilidade dele em abrir os vinhos com as rolhas mais detonadas. Mas isso é história para um post, que em breve eu escrevo.
    Um abraço

    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>