Gino Wine Bar em São Paulo foge do óbvio e aposta nos pequenos produtores

Para aqueles que (como eu) gostam de um bom wine bar, tem novidade na cidade de São Paulo.

O Gino Wine Bar recebe, desde setembro, uma clientela interessada ou já iniciada no mundo dos vinhos. A proposta do sommelier e ex-executivo de TI romano Gianluca Zucco é apresentar para degustação em taças rótulos de pequenos produtores artesanais, majoritariamente do Velho Mundo, além de sul-americanos. O bar fica na última quadra da rua Cônego Eugênio Leite, em Pinheiros, em um trecho recém-explorado por casas de sucesso como Boto, Futuro Refeitório e Boca de Ouro.

O ambiente conta com área externa (boa opção para quem quer levar seu pet ou fumar charutos, por exemplo), e tem o balcão como protagonista. Atrás dele, Gianluca comanda o serviço.

A carta de vinhos tem boa rotatividade, com cerca de 30 rótulos de tipos bastante diversos.

Em comum, os rótulos garimpados pelo dono da casa junto a pequenos importadores têm baixa intervenção e vêm de produtores cuidadosos. A maioria são naturais, orgânicos e biodinâmicos.

A proposta é que o cliente vivencie uma experiência sensorial e tenha a oportunidade de conhecer historias peculiares dos respectivos produtores, diferentes da massificação encontrada no cotidiano do bebedor de vinho.

Para acompanhar, além dos clássicos de jazz, blues, soul e rock nas caixas de som, porções frias são servidas em tábuas com embutidos, charcutaria, queijos e conservas, tudo seguindo o mesmo padrão da seleção enológica, isto é, selecionados entre produtores artesanais e, nesse caso, de origem próxima.

Pães de fermentação natural da Bâtard escoltam os frios. Do enxuto menu, eles destacam o Mix Jais Handmade (língua bovina defumada, pastrami suíno, cupim defumado e copa curada – conforme disponibilidade), charcutaria artesanal de um casal de origem alemã (R$ 18 e R$43, tábuas pequena e grande, respectivamente) e o Mix A. Mar (bottarga de tainha, tainha defumada, sardinha curada no azeite e charcutaria do mar – conforme disponibilidade), curados de pesca artesanal de um projeto sócio alimentar de Ilhabela (R$ 37 a tábua).

Gianluca Zucco vive há 30 anos em São Paulo. Em 2010, retornou à sua cidade de origem, onde morou até 2013 em busca da sua formação na AIS (Associação Italiana de Sommeliers) somada à necessidade de enriquecer a própria experiência junto aos produtores locais, seus métodos e filosofias. De volta a São Paulo, surgiu a ideia de abrir um wine bar autoral, que tomou corpo em paralelo à evolução do mercado enológico paulistano e foi concretizada ao longo do último ano e meio, após muita pesquisa e estudo. O nome Gino é uma homenagem a Luigi Veronelli, uma das figuras mais importantes no mundo do vinho, que atuou entre a década de 1950 e sua morte, em 2004, como intelectual, crítico e promotor da enogastronomia da Itália.

Serviço:
Rua Cônego Eugênio Leite, 1164, Pinheiros. Telefone: 98196-9015
Funcionamento: terça e quarta, das 18h às 23h. Quinta e sexta, das 18h à 0h. Sábado, das 15h às 22h.
Estacionamento: ao lado –  R$ 10 (primeira hora) e R$ 3 (as próximas horas) – não é conveniado com o Gino
Cartões de crédito e débito: Mastercard, Visa, Amex, Elo, Hipercard, Sodexo, Alelo, Soro Cred Hiper, Cabal, Ticket

Tíquetes: não
Estabelecimento pet friendly

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>