Feijoada com vinho

 É isso mesmo. Feijoada com vinho. Afinal de contas, se a gente consegue fazer harmonização de comidas complexas da França, Espanha, Portugal, Chile, etc., por que não podemos harmonizar o nosso prato mais famoso com um bom vinho?

Dá e é fácil. É só pensar no que temos na feijoada: feijão (é claro), carnes de porco cozidas e fritas, lingüiças e algum tempero, certo? Desconstruindo assim o prato, fica mais fácil? Calma que ainda temos fatores a analisar.

Como sabemos, as carnes mais gordurosas, como é o caso do porco, pedem vinhos tintos mais estruturados, para que possam agüentar essa untuosidade na boca, no final.

Mas temos que pensar também que temos no prato (prato mesmo, de comida), arroz, couve e farinha. Isso faz com que ele fique um pouco mais “leve”. Ah, temos que levar em consideração o amargor da couve também. Por mais bem frita e temperada que esteja, vai ter um amargor no final.

Opa, a tarefa está mais complicada agora. Temos que encontrar um vinho que tenha estrutura pra agüentar a carne mas que também se dê bem com o amargor da couve. Isso porque nem mencionamos a pimenta colocada no prato, que é parceira fiel dessa comida.

feijoada

Enfim, com todas essas informações, vamos às idéias de vinhos. Listo abaixo algumas sugestões que eu acredito que sejam possíveis. Mais do que seguir essas dicas, acho que vale experimentar com o vinho que gosta. Só sugiro que não tentem com um branco leve, pois a combinação não vai ser a esperada, com certeza…

 

 

Cabernet Sauvignon – Tem uma boa estrutura e acredito que aguenta bem a gordura da carne.

Syrah – pelas suas características mais “picantes”, pode ser uma boa combinação.

Pinotage – Combina as duas características acima, portanto me parece uma boa opção também.

 

Outra informação importante a se lembrar é que os vinhos devem ter taninos macios. Caso você escolha um vinho com tanino mais “selvagem”, a mistura dele com o sal da feijoada vai trazer um sabor não muito interessante.

Agora vamos à degustação! 🙂

Abraços

Daniel Perches

You Might Also Like

10 Comentários

  1. 1

    Daniel,

    Por experiencia, e não por sabedoria, posso confirma que um Vapolicella combina muito bem com uma Feijoada. Particularmete esperimentei esta combinação com um Italiano Vapolicella da vinícola Bolla com uma feijoada sem acompanhamentos, apenas com um pouco de Couve. A combinaçõ ficou excelente para o meu paladar.

    Mas como não sou um profundo conhecedor de vinho não posso julgar por caracteristicas, tanino, ou qualquer outra caracteristica, apena pela a bea sensação.

    Abraços
    Camillo

  2. 2
  3. 3

    Olá Daniel!

    Sabe que vinho, surpreendentemente, fica um espetáculo com feijoada?
    Um bom espumante rosado – rosé. Seja de merlot nacional ou um de pinot noir argentino, francês, etc… Fica muito bom, alivia o peso da comida, limpa o palato e ainda é refrescante, se não tentou, experimente e conte aos seus leitores.

    Abçs.

  4. 4
  5. 5

    Oi Alexandre

    Obrigado pela dica e pela receita. Estou recebendo ótimas sugestões e acho que vou ter que preparar uma feijoada com um espumante, um rosé e um tinto, pra tirar a prova! 🙂

    Um grande abraço
    Daniel Perches

  6. 6

    Olá Ramon
    Acho que eu realmente precisarei experimentar a feijoada com um espumante. Estou ficando curioso pra ver essa combinação.
    Obrigado pela dica.
    Um abraço

    Daniel Perches

  7. 7

    Caro Daniel

    A minha boa experiência com a feijoada foi com merlot chileno, desses de supermercado mesmo e ficou muito bom, inclusive com aquele molhinho apimentado do feijão, e a próxima tentativa vai ser com um malbec argentino o Alamos, depois coloco aqui o resultado.

    Abraços

  8. 8
  9. 10

    Daniel e Confrades,

    Gostei das seus comentários sobre a hamonização vinho e feijoada. A harmonização é difícil, daí a tradição de se fazer acompahar pela cerveja e pela caipirinha. Mas nós somos do vinho e costumamos romper obstáculos. Juntamente com os Confrades da Confraria do Camarão Magro, já tentamos harmonizar vinhos com as exóticas comidas tailandesa e, uma vez, com a comida judaica, desafiados por dos membros da Confraria (Post publicado no Blog).

    Mas, no caso da feijoada, o maior óbice que encontrei foi o que diz respeito ao sal. Esse, sim, pode desfigurar qualquer vinho. Portanto, é de bom grado retirar-se o máximo possível do sal das carnes.

    Com um espumante rosé, encorpado, seco e bem gelado funciona de modo muito agradável.

    Testei, também, um Lambrusco de Sorbara e fiquei satisfeito.

    Haja feijoada para o Confrade fazer experiências!

    Abs.

    Neri Cavalheiro

  10. 11

    Olá Neri
    Obrigado pelo comentário. Eu já estou achando que precisaremos de uma feijoada mensal para poder testar todas as combinações!
    Abraços

    Daniel Perches

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>