Don Melchor 1995

Como já comentei aqui, estive na Concha y Toro e conheci não só a vinícola e a famosa adega “Casillero del Diablo”, mas também tive a ótima oportunidade de almoçar no restaurante que fica anexo à loja, no final do tour.

O restaurante oferece uma boa carta de pratos e preços acessíveis. Até aí, nada de extraordinário, mas o que me chamou mesmo a atenção foi a possibilidade de comprar e provar vinhos de safras antigas, servidos em taça.

Naquele dia estavam servindo o Don Melchor 1995. Nem é preciso comentar que não hesitei em prová-lo. Eu tinha a intenção de comprar algumas garrafas de safras até mais antigas, mas estava um pouco em dúvida. Essa foi a minha deixa para decidir.

Taça pedida e a atendente foi um tanto relutante e até me reforçou a informação de que havia também a safra 2006 para provar. Eu viria a entender o porquê dessa afirmação mais tarde…

O vinho seria o 1995 e pronto, estava decidido. E sendo assim, recebi a taça, respirei fundo e parti para a análise e para a degustação, claro. Vale comentar antes que a safra de 1995 não teve grande expressão (nem boas pontuações) e nesse ano foi feita somente com Cabernet Sauvignon.

Com uma coloração já bem atijolada e um grande halo de evolução, o vinho mostrou claros sinais da idade avançada. Já era um senhor.

No nariz, aromas terciários de couro, pêlo de animal, especiarias, estrebaria e um final mentolado. O interessante foi que quando chegou à mesa estava com um aroma ferroso, que quase confundi com oxidado e cheguei a pensar até que o vinho não estava bom para o consumo.

Em boca o vinho mostrou-se leve e com seus taninos já bem “cansados”, talvez pelo tempo em garrafa. Claros sinais de que sua vida ali na garrafa (e depois na minha taça) já estava chegando ao fim.

Conversando depois em off com algumas pessoas de lá, fui informado que as safras mais antigas do Don Melchor realmente eram feitas para serem consumidas em, no máximo, 10 anos. Com a tecnologia e obviamente a melhoria dos processos, hoje é possível fazer um vinho não só mais longevo quanto mais rapidamente pronto para o consumo, como é o caso da safra 2006.

Se isso procede ou não, não posso afirmar com certeza, mas posso dizer que esse 1995 estava já em sua plena maturidade, mas ainda apresentava muitos aromas e fortes sinais de que, quando mais jovem, foi um vinho bastante potente.

Uma garrafa desse vinho, lá na vinícola, custava em torno de 70 dólares e eles têm safras bem mais antigas (essas, só para vender a garrafa fechada). Alguém se habilita a uma degustação vertical?

Abraços

Daniel Perches

don_melchor_1995

You Might Also Like

8 Comentários

  1. 1

    Caro André,

    Também não sei ao certo se os Don Melchor, de safras mais antigas, eram feitos para serem consumidos em até 10 anos. Já tomei o 1993 por duas vezes e o 1989. Os 1993 com 14 anos e o 1989 com 21 anos(esse está postado no meu site, se puder dê uma olhada), não eram vinhos que iriam evoluir mais, mas principalmente o 93 ainda tinha alguns anos de vida com muito mentol e taninos potentes.

    Um abraço.
    Eugênio Oliveira
    http://www.decantandoavida.com

  2. 2

    Olá Eugênio
    Eu até pensaria em dizer que poderia ser o acondicionamento da garrafa, mas como bebi na vinícola, não gostaria de cogitar que eles não guardam direito os próprios vinhos. Mas como falei, 1995 nem foi uma grande safra, então isso pode influenciar.
    Não consegui encontrar o post do Don Melchor. Pode me mandar o link?
    Abs
    Daniel

  3. 3
  4. 4

    Eugênio, não tem problema nenhum. Agora sim li o seu post. Mesmo imaginando que realmente um 1989 não evoluiria muito mais, confesso que fiquei com vontade de provar… rsrs
    Abraços
    Daniel

  5. 5

    Tive a oportunidade de provar semana pssada , na Concha Y Toro , os Don Melchor 2008 , 1999 e 1988 . Achei o 1988 fantastico mas nao devera evoluir mais nada . O 1999 um vinho totalmente pronto e o 2008 ainda nao vale toma-lo Comprei algumas garrafas do 1988 para consumo pp .

  6. 6
  7. 7

    Tenho uma garrafa do vinho Don Melchor safra 1995 e quero vende-la.Qual seria um preço justo?

  8. 8

    Gustavo, eu realmente não tenho idéia. Talvez se você anunciar no MercadoLivre alguém possa se interessar. Dá uma pesquisada antes nos valores praticados por lá.
    Abraços
    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>