Crasto Douro 2009

Se você gosta daqueles vinhos mais encorpados, com taninos bem presentes, que até amarram um pouco a boca e pedem uma comida forte pra acompanhar, você pode buscar o Crasto Douro 2009, que não vai se arrepender. Ele é desse jeito!

Produzido com as uvas típicas da região – Tinta Roriz, Tinta Barroca ,Touriga Franca e Touriga Nacional – o Crasto Douro 2009 é um vinho que impressiona pela sua potência. E quando falo de potência, quero dizer em todos os aspectos, pois ele é um vinho intenso em todos os aspectos.

Sua cor é muito forte, quase intransponível, com um leve halo violeta, que dá até um toque mais bonito. No nariz ele exala aromas muito presentes de cerejas, ameixa vermelha, um toque floral e se você deixar ele esquentar um pouco, exala também um pouco de álcool (por isso inclusive eu recomendo que se beba a uma temperatura de aproximadamente 16 graus, um pouco mais gelado do que estamos acostumados). Se bebido mais resfriado o álcool desaparece e ele fica mais agradável.

Em boca ele corresponde ao nariz, reforçando a fruta, com um corpo médio, uma acidez bem presente, taninos jovens e ainda um pouco “marrentos” e com      um final também um pouco quente, mas agradável. Tem uma ponta de amargor, mas que saiu rapidamente com a comida. Eu acompanhei com uma língua de boi, que foi muito bem.

Esse não passa por barricas de carvalho, mas não quer dizer que não possa envelhecer um pouco para ser bebido. Acho que ele ainda está um pouco jovem e pode ser guardado talvez até 2012, quando estará um pouco mais macio. Mas sem dúvida é uma boa opção para se beber acompanhando carnes fortes, com molhos bem temperados com especiarias.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>