Casa Valduga Premium Gewurztraminer 2010 #cbe

Os vinhos feitos com a uva Gewurztraminer estão na minha lista de “gosto bastante, mas bebo pouco”. E não me pergunte por que, pois eu mesmo me pergunto isso muitas vezes, mas nem sempre chego a uma conclusão plausível.

Essa é uma uva muito intrigante. Tem aromas muito ricos e na boca é bastante diferente. Sempre que eu bebo um vinho com Gewurztraminer, lembro-me da primeira vez com essa uva, quando tomei um susto ao colocar o vinho na boca, pois esperava algo completamente diferente.

E o Casa Valduga Premium Gewurztraminer 2010 é assim também: no nariz ele apresenta aromas florais bastante ricos e em boca ele mostra-se diferente, com um corpo mais leve do que o esperado e sabores mais cítricos.

Casa Valduga Premium Gewurztraminer 2010Esse em específico me pareceu que tinha até um pouco mais de fruta do que eu me lembrava dos outros que bebi. São frutas brancas maduras, com destaque para lichia, pêra e maçã vermelha, sempre acompanhadas de um toque adocicado intenso, como se cada fruta estivesse em calda, mas sem perder a sua característica.

Em boca o vinho mostrou-se com uma acidez bem pronunciada e com os tais sabores cítricos. Nos próximos goles tentei relacionar nariz e boca, mas algo estava desconexo, mas como falei, isso me parece algo típico de uma bela “pegadinha” de um vinho feito com Gewurztraminer. Nariz com vários aromas e boca com outros sabores completamente diferentes.

Seu final não é dos mais longos, mas não decepciona. Aliás, por conta de sua acidez, convida para o próximo gole, principalmente em um dia quente e se acompanhado de uma comida leve como uma salada, um peixe grelhado ou até mesmo um frango sem muito tempero.

Comercializado em uma faixa de 30 reais, é um bom vinho. Ótima alternativa aos Chardonnays e Sauvignon Blancs que geralmente bebemos quando buscamos vinhos brancos.

Esse foi degustado por sugestão do meu amigo Gil Mesquita, do Blog Vinho para Todos, como tema do mês de fevereiro da Confraria Brasileira de Enoblogs.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 2

    Acabei de beber o 2011… Me pareceu doce demais, deveriam ter feito como late harvest. Ficou sem graça, uma pena, pois essa uva é de difícil cultivo.
    Um abraço.

  2. 3

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>