Borgonha top – Domaine Yves Girardin Santenay 1er Cru La Maladiere 2011

O final do ano está chegando e é hora de bebermos bons vinhos. Opa, peraí. Então é só no final do ano que a gente deve beber assim? Na verdade eu acho que devemos beber bons vinhos todos os dias. Eu só fico buscando uma boa desculpa para isso! 🙂

E foi assim que eu abri o meu Domaine Yves Girardin Santenay 1er Cru La Maladiere 2011, um Pinot Noir fgeito na Borgonha e que me deixou maluco. Adorei esse vinho, que tem todas as boas características dessa região super famosa e o mais legal, não custa tanto quanto a gente costuma pagar por um vinho dessa categoria (R$ 159 na Chez France).

domaine_Yves_girardin_1er_cruSe você está entrando na onda dos Pinot Noirs (e se não está, vale a pena conhecer. Essa uva é fantástica), esse é um que vai ser no mínimo didático para entender melhor um pouco sobre Santenay, um pedaço bem bacana da Borgonha onde ele é plantado. Tem bastante aroma de fruta, mas tem também aquele toque de “bosque” que é bem característico dos vinhos de lá.

Provei esse vinho com uma bruschetta de funghi e ficou muito bom. Para comer e beber com calma, apreciando. Se ainda estiver em busca de vinhos legais para comemorar 2014, aí está um deles.

Um abraço

Daniel Perches

 

Quer saber um pouco mais sobre o Domaine YVes Girardin? Então veja abaixo:

O Domaine Yves Girandin é um dos maiores domaines em Santenay, se estende por 22,50 hectares de Maranges a Savigny-les-Beaune, Chassagne-Montrachet, Pommard e Beaune. O vinhedo é plantado sobre 16,50 hectares com a casta Pinot Noir e 6 hectares com a Chardonnay.

A família ‘Girardin’ cultiva a videira há 11 gerações e se desenvolveu bastante nos anos 1960, graças a Jean Girardin. Viticultores de pai para filho há várias gerações, os dois irmãos Yves e Vincent Girardin estão cada um atualmente na direção do vinicola e são reconhecidos pelos melhores críticos do mundo do vinho. Após uma infância passada nas videiras e na cave, Yves se apaixonou pela cultura do vinho. Em 1981, o Domaine familiar de 12 hectares se separou e Yves passou assim para a direção de uma exploração de 3 hectares. Na busca de aumentar e diversificar a gama dessas denominações, ele comprou videiras em Chassagne-Montrachet, Pommard e explora atualmente 22,50 hectares. Em 2003, Yves adquiriu o Château de la Charrière, a propriedade familiar e a exploração aumentou com a construção de uma nova cave.

A elaboração de grandes vinhos passa pela obtenção de uvas de qualidade. O Domaine se esforça para adaptar seu modo de conduta à videira com aragens, obras para controlar os rendimentos e uma utilização racional dos pesticidas aplicados ao vinhedo.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>