Barbi Brunello di Montalcino DOCG 2006

Conversar com produtores de vinhos tradicionais da França, Itália, Portugal e Espanha é surpreender-se a cada momento. Tive a oportunidade de conhecer a Rafaella, a gerente de exportação da Fattoria dei Barbi, uma das vinícolas mais tradicionais de Montalcino, no coração da Toscana, Itália. A história da família Colombini, segundo ela, vem de muito tempo atrás. Em 1790 a família adquiriu a propriedade e começou a fazer vinhos por lá. É, meus amigos, estamos falando de mais de 200 anos de história.

E como o intuito era apresentar os vinhos deles que são importados aqui no Brasil, degustamos alguns rótulos e esse me chamou a atenção. Não é o mais caro (mas também não é o mais barato). É o que a Rafaella chamou de “Rótulo regular”. Se isso é regular, imagina o extraordinário…

O Barbi Brunello di Montalcino DOCG 2006 é potente, elegante, complexo e ao mesmo tempo macio, bem produzido. Apesar de seus já quase 6 anos de vida, o vinho estava muito jovem e dava para perceber que daria para guardar por muito tempo ainda.

No nariz eu senti aromas de frutas vermelhas misturada com toques de barrica, chocolate, amêndoas, fumo e até um toque animal. Na boca é o tipo do vinho que dá uma porrada mas faz carinho ao mesmo tempo. Sabem do que eu estou falando? Tem taninos muito presentes mas que são muito bons, aí a gente pensa que vai ser um vinho duro, mas não é.

Provei esse vinho com um gnocci com ragú e ficou perfeito! Provei depois com uma carne grelhada e ficou bom, mas o ragú, talvez pela sua estrutura, gordura e temperos, tenha se dado melhor.

Tive a sorte de provar vários Brunellos di Montalcino nesse ano e posso afirmar que pra mim esse foi um dos melhores, principalmente se pensar no custo x benefício. Esse sai por aproximadamente 180 reais na Todovino.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

6 Comentários

  1. 1

    Daniel, tambem provei esse Brunello safra 2004, no Dia dos Pais, achei que deveria guarda lo por mais tempo. Muito potente e com taninos ainda rusticos. Acredito que no minimo uns 10 anos de garrafa para deixo lo mais calmo. Enfim, um bom vinho da referida denominacao. Abs.

  2. 2
  3. 3

    Se decantar para “dar uma aerada” , nao pode amansa-lo e consumir já, ao invés de esperar 10 anos? Quero dizer, o resultado seria semelhante?

  4. 4
  5. 5

    Xara, esse Brunello 2004, o qual me referi foi aerado e decantado. Melhorou pero no mucho. Ainda fico com a impressão que tive. E Daniel, cheguei a conclusão, após varias degustações, de que, alguns vinhos, principalmente do velho mundo não merecem ser abertos antes de certa idade. Por isso, so adquiro vinhos prontos, do velho mundo ou mesmo do novo mundo, assim como os quais, eu va consumir com algum tempo de adega, para uma ocasião especial futura.

    Abs aos amigos.

    Eduardo Rezek

  6. 6

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>